Buscar

Exame detecta variante da Índia em adolescente de 15 anos

Delta é vista com preocupação, pois pode infectar quem já teve a doença ou tomou apenas primeira dose

- FIQUE ATUALIZADO: PARTICIPE DO NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E FIQUE BEM INFORMADO (NOTÍCIAS, VAGA DE EMPREGO, UTILIDADE PÚBLICA) -CLIQUE AQUI


O primeiro caso da variante Delta em Cuiabá foi detectado no exame de uma adolescente de 15 anos, que testou positivo para Covid-19 duas vezes entre março e julho deste ano. No Brasil, essa mutação já foi registrada 169 vezes. A principal preocupação sobre a variante Delta, inicialmente identificada na Índia, não é que ela deixa as pessoas mais doentes, mas que se dissemina mais rapidamente entre as pessoas, aumentando infecções e internações entre não vacinados. Ela é classificada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como uma das "variantes preocupantes", por terem possibilidade de gerar reinfecção naqueles que já tiveram Covid-19 ou de, possivelmente, escapar da cobertura vacinal em quem tomou apenas a primeira dose. De acordo com o Inac, laboratório responsável pelo exame, a adolescente foi contaminada com Covid-19 pela primeira vez em março. No entanto, em 20 de julho, a médica dela pediu que o laboratório realizasse um novo exame PCR, para detecção da doença, que também foi positivo. O caso, então, passou a ser tratado como uma possível reinfecção já que o resultado se repetiu em um curto período de tempo. A médica da adolescente decidiu pedir um teste de identificação das variantes, que comprovou que a menina foi contaminada com a variante Delta. Conforme informações do Inac, a paciente relatou sintomas gripais leves, com dores no corpo e dor de cabeça, mas tem quadro estável e permanece em isolamento. O risco da variante Sabe se que a variante Delta, segundo a Organização Mundial de Saúde tem uma transmissibilidade elevada que é de até 50% superior a B.1.1.7, a variante Alfa, detectada pela primeira vez no Reino Unido, devido a sua maior carga viral e capacidade de escape imunológico. "Ela já está presente em 98 países, propagando-se rapidamente em países com baixa e com alta cobertura de vacinas", disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom, em entrevista coletiva virtual partir de Genebra. No Brasil já foram registrados 169 casos de detecção da variante, sendo confirmada em Pernambuco, Goiânia, São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Distrito Federal.


BRUNA BARBOSA