Buscar

Comissão pede mais convocados em concurso da segurança em MT

Apesar do concurso estar temporariamente suspenso, a comissão pede que, quando houver a convocação, o número seja maior do que o de vagas devido à reprovação dos candidatos nas próximas fases.

A comissão de aprovados e classificados nos cargos de investigador e escrivão da Polícia Civil de Mato Grosso afirma que somente 50% das vagas estão ocupadas atualmente. Por causa disso, enviou um ofício, nesta terça-feira (1°), ao governador Mauro Mendes (DEM) pedindo o aumento de convocados para a segunda etapa do concurso realizado no dia 20 de fevereiro deste ano.


Além disso, a comissão diz que muitos reprovam nas próximas fases do concurso. O documento cita que entre 10% e 20% dos candidatos reprovam na redação, tendo um número abaixo do ideal para as outras fases.

A convocação dos aprovados ainda não tem data prevista porque o concurso é alvo de investigação do Ministério Público Estadual (MPE).

No exame de saúde e teste de aptidão física, cerca de 50% dos candidatos são eliminados. Ao final de todas as fases, aproximadamente 20% a 30% dos candidatos são considerados aptos, ou seja, aproximadamente 174 pessoas para os cargos vagos, segundo a comissão. A comissão ainda argumenta que o último concurso público para os cargos de carreira da Polícia Civil ocorreu em 2013, com um intervalo de quase nove anos sem concurso para a categoria.

De acordo com o documento, um estudo da polícia emitido, no 4º trimestre de 2021, o quadro de servidores possui um quantitativo de 4 mil cargos criados com somente 2016 servidores nos cargos de investigador. Ao todo, são 1984 cargos vagos.

Para escrivão, foram criados 1,2 mil cargos sendo ocupados por 657 servidores, totalizando 54,75% do efetivo atual. São 543 cargos vagos.

O concurso é direcionado a cadastro de reserva, não tendo especificado o quantitativo de cargos que serão empossados nos próximos anos. o edital deixa claro que para cada cargo terão somente 580 candidatos com suas redações corrigidas.

O concurso possui seis etapas, que na maioria, possuem caráter eliminatório.

A justificativa é de que outros estados, como o Rio de Janeiro, Tocantins, Pará, Paraná e, no concurso de 2013 em Mato Grosso, os governadores autorizaram o aumento da quantidade de candidatos para as próximas fases.

"Noutras palavras, faz sentido que sejam convocados candidatos a mais, uma vez que tal manobra pouco ou nada custará para o erário público, muito pelo contrário permitirá que o estado tenha uma lista de candidatos habilitados a ingressar na carreira frente a eventuais necessidades de recomposição dos quadros funcionais da administração pública que surjam no decurso dos atos como acontece nos demais estados da federação", diz trecho do ofício.

O concurso

As provas do concurso público das forças de segurança de Mato Grosso foram realizadas no dia 20. Ao todo, 66 mil pessoas estavam inscritas.

O concurso, que foi prometido pelo estado desde 2016, foi realizado para formação de cadastro de reserva. Entretanto, o governo promete chamar 1.200 classificados ainda em 2022.

Os cargos de escrivão e investigador da Polícia Civil foram os mais procurados pelos “concurseiros”. Dos 66 mil inscritos, foram quase 34 mil somente na instituição.


G1/MT


FIQUE ATUALIZADO: PARTICIPE DO NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E FIQUE BEM INFORMADO (NOTÍCIAS, VAGA DE EMPREGO, UTILIDADE PÚBLICA) -CLIQUE AQUI