Buscar

Centro de Valorização da Vida recruta voluntários em Mato Grosso


A organização sem fins lucrativos Centro de Valorização da Vida (CVV) inicia, no próximo domingo (11), um curso para formação de voluntários em Mato Grosso. A formação será feita de maneira remota e aceitará moradores de todas as cidades do Estado, desde que possuam acesso à internet.


“A maioria dos voluntários fazia o atendimento telefônico em um dos mais de 120 postos do CVV em todo o país e, com a necessidade do isolamento social, esse modelo sofreu forte impacto”, afirma Carlos Correia, voluntário e porta-voz do CVV. Em fevereiro de 2020, antes do isolamento social, somente 8% dos atendimentos eram realizados de maneira remota e, dois meses depois, já representava mais de 60% dos atendimentos. “Conseguimos agir muito rápido para evitar que as pessoas que nos procuram ficassem sem apoio emocional”, complementa.


Nem todos os voluntários conseguiram se adaptar ao modelo remoto e acabaram se afastando da atividade, mas nem com essa redução o CVV deixou cair o volume de atendimento. “Até hoje, muitos voluntários fazem plantões extras para ajudar nesse momento atípico. Não é a primeira vez nos 59 anos do CVV em que vemos os voluntários se doando ainda mais em momentos críticos”, comenta Carlos.


Para aumentar a capacidade de atendimento, os postos do CVV realizam periodicamente os cursos gratuitos de capacitação e seleção para novos voluntários, no qual os candidatos são treinados e selecionados ao longo de cerca de dois meses. Quase todos os postos adaptaram o curso para o modelo remoto, garantindo segurança a todos participantes, sem deixar de atrair novas pessoas à equipe.


Em janeiro, por exemplo, foram iniciados 16 Cursos pelo país e, durante o ano todo, novas turmas serão formadas. Os interessados em se tornarem voluntários do CVV podem se inscrever pelo site da organização. É necessário ter pelo menos 18 anos de idade, tempo disponível para os plantões semanais e estar disposto a acolher pessoas que precisam conversar de maneira sigilosa. Não é necessário formação específica além do curso que o CVV oferece, pois a entidade oferece apoio emocional, e não atendimento psicológico ou psiquiátrico.


A entidade é independente, sem vínculos políticos, religiosos, com a iniciativa privada ou outras instituições. Possui um convênio com o Ministério da Saúde para operação do telefone 188 sem comprometer sua independência de atuação.


O CVV presta serviço voluntário e gratuito de prevenção do suicídio e apoio emocional para todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo. Os mais de 3 milhões de atendimentos de 2020 foram realizados por cerca de 4.000 voluntários em mais de 120 postos de atendimento pelo telefone 188 (sem custo de ligação), ou via chat, e-mail ou carta.


Fonte: Só Notícias