Buscar

Caminhoneiros liberam rodovias em MT após decisão de Justiça

Desde terça (7), eles protestavam a favor do voto impresso e exigiam a saída dos ministros do Supremo

- FIQUE ATUALIZADO: PARTICIPE DO NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E FIQUE BEM INFORMADO (NOTÍCIAS, VAGA DE EMPREGO, UTILIDADE PÚBLICA) -CLIQUE AQUI


Caminhoneiros apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que ocuparam trechos das BRs 070, 163 e 364 em Mato Grosso, liberaram as pistas após decisão da Justiça Federal.

De acordo com a Rota do Oeste, concessionária responsável pelas vias, os locais que estão sob concessão da empresas já foram desbloqueados.

Desde terça (7), os manifestantes protestavam a favor do voto impresso e da saída dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal).

Os caminhoneiros estavam permitindo apenas a passagem de veículos de carga perecível.

Em Sorriso, eles colocaram pneus e uma faixa pedindo por "intervenção federal com Bolsonaro no poder" para bloquear o km 745 da BR-163.

Nova Mutum, Lucas do Rio Verde e Sinop também registraram manifestantes nas rodovias.

Na quarta (8), a Polícia Rodoviária Federal informou que, por conta dos bloqueios, vários veículos de carga precisaram estacionar na pista e no canteiro central do trecho conhecido como Trevão, na BR-364.

Desde ontem, após a decisão do juiz Rodrigo Gasiglia de Souza, da 2ª Vara Federal Cível da Justiça Federal em Mato Grosso, equipes da Rota do Oeste começaram a trabalhar na liberação dos trechos.

Multa de R$ 5 mil

No documento, Gasiglia considerou que, embora a Constituição assegure a liberdade de manifestação, a Justiça não poderia conceber que outros direitos igualmente fundamentais fossem restringidos.

Ele estabeleceu multa de R$ 5 mil para manifestantes que se negarem a obedecer a decisão judicial.

O magistrado também autorizou que a Polícia Rodoviária Federal utilize os "meios necessários", inclusive força física, para que as rodovias federais bloqueadas sejam desobstruídas.


Assessoria