Buscar

Após quase dois meses, caçada por bandidos do ‘Novo Cangaço’ é encerrada


- FIQUE ATUALIZADO: PARTICIPE DO NOSSO GRUPO NO WHATSAPP E FIQUE BEM INFORMADO (NOTÍCIAS, VAGA DE EMPREGO, UTILIDADE PÚBLICA) -CLIQUE AQUI


O Batalhão de Operações Especiais (Bope) encerrou neste final de semana as buscas pelos bandidos que assaltaram duas cooperativas de crédito em Nova Bandeirantes (997 km de Cuiabá) e levaram quase R$ 900 mil reais. A caçada à quadrilha durou 58 dias, marcados por confrontos e prisões em meio à mata na região.

Nove bandidos foram mortos em confronto com policiais do Batalhão de Operação Especiais (Bope), que atuaram na força-tarefa para encontrá-los. Outros cinco suspeitos foram presos.

Segundo o tenente-coronel Arruda, comandante do 9º Comando Regional, pelos menos 40 policiais ainda estavam na região até a última sexta-feira (30.07), em busca de suspeitos. A 'caçada' aconteceu principalmente nas regiões de mata em volta do município.

Além dos cinco que já foram presos, ainda há mais dois foragidos. A Polícia suspeita que um deles pode estar morto em meio à mata.

“O último que foi preso, em torno de 20 dias atrás, ele comentou que desses dois aí, um já estava passando mal, estava desmaiando e vomitando. Não estava aguentando esconder na mata (...). Ele acha que esse elemento não conseguiu sobreviver”, destacou o tenente-coronel Arruda.

A Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) deve finalizar nesta semana o inquérito policial sobre o assalto e divulgar um balanço da operação.

Apesar de a força-tarefa ter sido encerrada, o tenente-coronel Arruda destacou que os dois foragidos continuam sendo procurados pela Polícia.

“O cerco continua. Não tem pra onde eles irem. Mesmo terminando a operação daqui a alguns dias, manteremos a Força Tática lá fazendo todo o policiamento, pra manter toda a segurança na região”, concluiu.


SALDO DA OPERAÇÃO


Durante os 58 dias de força-tarefa, nove suspeitos foram mortos em confronto com as forças policiais e cinco foram presos. Cerca de R$ 500 mil foram recuperados.


Os mortos foram identificados como:


Romário Oliveira Batista; Maciel Gomes de Oliveira; Luiz Miguel Melek; Waldeir Porto Costa, o 'Índio'; Diego de Almeida Costa; Adailton Santos da Silva; Francisco de Assis Cavalcante dos Santos, o 'Galego'; Cristiano de Jesus Nunes; Samuel Santos Silva, o 'Salvador'. Os presos são:


Salvador Santos Portela, que segue preso; Edenicio Pereira Cavalcante, o Coroinha, segue preso; Franklis Souza de Jesus, o Fran, que segue preso; Valdecir de Salles Barboza, que segue preso; Josias Silveira, liberado com tornozeleira eletrônica.

Estadão Mato Grosso